sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Caracteristica e uso do PAPIRO


Esta planta, da família das cyperaceas, é muito comum nas margens de rios da África. As folhas são longas e fibrosas, um pouco semelhantes às folhas de cana-de-açúcar.


No Egito Antigo, o papiro era encontrado nas margens do rio Nilo. Foi muito utilizado pelos egípcios para diversos propósitos. As folhas eram sobrepostas e trabalhadas para serem transformadas numa espécie de papel, conhecido pelo mesmo nome da planta. Este papel (papiro) era utilizado pelos escribas egípcios para escreverem textos e registrarem as contas do império. Vários rolos de papiro, contando a vida dos faraós, foram encontrados pelos arqueólogos nas pirâmides egípcias.


O papiro tinha outras funções no Egito Antigo. Os artesãos utilizavam a planta para a fabricação de cestos, redes e até mesmo pequenas embarcações (através da formação de feixes). Era também utilizado como alimento pelas pessoas mais pobres e também para alimentar o gado.


Até hoje os egípcios plantam e utilizam o papiro, porém podemos encontrar plantações desta planta em regiões do sul da Itália.


Do papiro para a indústria gráfica          


Devido à precária comunicação, houve um longo tempo até a invenção de TsaiLun se espalhasse. O papel só vai chegar a Europa no século XII e até então todos os registros eram feitos em papirus ou pergaminho. 


As pessoas comuns não sabiam lidar com o papel até o século XV, quendo Johannes Gutemberg desenvolveu a imprensa. Ele projetou um máquina que aperfeiçoou o tipo móvel, e imprimiu sua famosa bíblia, em 1456. Sua invenção provocou a comunicação de massa, difundindo a palavra do cristianismo.


O nascimento do papel moderno e da indústria de impressão é comumente marcado a partir desta data. A evolução do papel ainda estava longe. Ironicamente, quando a doença conhecida como a Peste Negra matou milhões de europeus, toneladas de roupas e trapos tornaram-se disponíveis. Assim, as fibras destas roupas e trapos foram usadas para a fabricação do papel.


A produção em massa




A procura de papel também criou a necessidade de uma maior eficiência na produção. No século 18 os trabalhos de Nicolau Luis Roberto resultou na criação de uma máquina que poderia produzir uma emenda no comprimento do papel em uma tela de arame sem fim, com rolos de aperto em uma extremidade.


Aperfeiçoada e comercializada pelos irmãos Fourdrinier, a nova máquina logo substituiu as tradicionais folhas soltas feitas à mão. Na Europa e América, a produção em massa de papel tornou-se uma próspera indústria de fornecimento de grandes volumes de papel para a produção de jornais, livros, revistas, sacos de papel, papel higiênico, dinheiro e um enorme variedade de outros fins.


Todas as possibilidades


Trabalhos feitos em papel são duráveis, flexíveis e extremamente versáteis. Eles podem ser utilizados por qualquer pessoa para diversos fins (embrulho, escrita, desenho e pintura). Eles também são utilizados para artesanato, impressão de livros, revistas e cadernos. Artigos de papelaria, cartões, embalagens e assim por diante. Na verdade, o papel é tão versátil que sua utilização são ilimitadas, precisando apenas de imaginação.



Um comentário: